PUBLICIDADE
Cinema

Atômica, Opinática

3 de setembro de 2017, POR

O Super Nerd » Cinema » Atômica, Opinática

PUBLICIDADE

A grande aposta de ação para o ano teve sua estreia dia 31 de agosto. Com Charlize Theron no papel principal de Lorraine Broughton. Uma agente secreta britânica da MI6 que durante a guerra fria vai até Berlin para recuperar uma lista de agentes duplos perdida e, enquanto isso, investigar a morte de seu colega. Com o mesmo diretor de outro queridinho de ação John Wick, David Leitch, a expectativa para o longa era consideravelmente grande – especialmente pra mim, que fui ao cinema já amando o filme. Confira agora minha opinática!

Começando logo de cara a falar sobre a história. O roteiro de Atômica me deixou surpresa pelo fato de que não esperava muito dele. Apesar de ser um filme sobre agentes e espiões, tal como o fato dele ter o mesmo diretor de John Wick – e isso ser sempre enfatizado – fez com que não colocasse muita fé no enredo. Afinal, o único ponto de John Wick que não me comprou foi o roteiro e como sua motivação principal foi apresentada. Mas, em Atômica, David corrige isto de maneira incrível, inclusive enfatiza várias vezes o objetivo – na minha opinião faz isso para te tirar de mente algo que vai ser parte do plot no fim do filme. É extremamente gostoso de assistir e ver que tudo que acontece já foi mostrado antes no decorrer do filme.

ALERTA DE SPOILER

Como na cena em que o carro dela cai no rio e ela prende o seu folego durante um grande tempo. Assistindo a cena você pensa “por*a mulher, tu tem folego hein“, mas, nesse momento, você lembra que, em uma cena prévia, no começo do filme foi mostrado que ela treina todos os dias o folego em uma banheira cheia de gelo.

FIM DO SPOILER

Sendo esse um dos exemplos de como os DETALHES contribuem para a experiência com o longa. Além da cena específica, também existem vários acontecimentos que contribuem para o plot do filme funcionar perfeitamente, principalmente, sem nenhum Deus Ex-Machina. Mas, é claro, mencioná-los poderá estragar parte das suas surpresas, por isso vamos seguir adiante.

Talvez dado o fato de se tratar de um filme de espionagem, Atômica apresenta várias camadas: A camada do espectador, a camada de cada personagem envolvido na história e a camada da verdade – que também é a do plot, sendo essa mostrada somente na resolução do filme. Todos os personagens são extremamente sólidos. Logo de cara você detesta ou adora eles – claro que sempre desconfia de TODOS, afinal, como em vários filmes do gênero, há “cheiro” de coisa errada desde o começo. 

Já nossa Lorraine – na dublagem eles não falam Lorraine, falam Loureine, vai entender – é um mistério até para nós mesmos. Passamos o filme sabendo que ela é uma agente qualificada que bate pra caramba, mas nem os seus superiores confiam tanto assim em suas habilidades. Ela é descoberta assim que chega em Berlim. David Percival – interpretado por James McAvoy – a manipula sempre que quer e, por conseguinte, Lorraine se mostra de certa forma ingênua em algumas situações – inclusive dizendo coisas que não deveria para seu par romântico no longa. Mas, em suma, a personagem se apresenta o tempo todo tranquila, como se fosse tudo fosse para acontecer como deve, sendo que você fica meio sem entender. No terceiro ato – com a resolução – você fala “CAR*LHO, AGORA EU SAQUEI” e aí percebe o sentido até do seu par romântico existir. Ela não está ali simplesmente para ter romance, ela tem um propósito – aprendam filmes, aprendam!

Nesse mesmo momento de resolução reparamos onde está a semelhança entre John Wick e Atômica em relação ao roteiro. Em John Wick o próprio John é conhecido e temido por todos. Já em Atômica a história é o inverso com Lorraine. Sendo que, ao final, o enredo tem a sua transformação – assistam pra entender, rs.

© Material de divulgação passível de direitos autorais.

atomic-blonde-lorraine-interrogatorio

® Relate qualquer abuso de Uso Indevido de Imagem clicando aqui.

Lorraine é interrogada pelo MI6 para explicar toda a bagunça em Berlin

Ao contrário do roteiro, as cenas de ação tinham grande expectativa da minha parte. Afinal Leitch faz um trabalho incrível em Jhon Wick e, realmente, podemos notar a mesma qualidade. Principalmente nas cenas em tiroteios, é notável a semelhança de qualidade e de filmagem – o que é incrível. Já nas cenas de luta corporal direta – que são maioria no filme – as coreografias se mostram IMPECÁVEIS e muito reais.

Como uma fã de artes marciais, sempre reparo nas coreografias dos filmes e, com toda certeza, foi maravilhoso. Quando começava a abstrair da história e pensar “NOSSA que coreografia legal”, algo inesperado acontecia e me puxava de volta pra dentro do filme. Lutas que fluíam como “acidentes” que faziam com que tudo parecesse extremamente natural. Os personagens ficavam tontos de tanto apanhar, cheio de machucados, com o rosto inchado, tropeçando em tudo e, inclusive, tinham um delay pra voltar a bater depois de apanhar demais.

Pequenos detalhes na execução. Tudo que me levou a idolatrar essas cenas. Alias, é preciso dar um certo destaque para uma cena em específico. Durante uma ação dentro de um quarto. Toda a composição casa completamente com as ações executadas. Sendo a sequência dentro desse edifício a minha favorita do filme todo. É muita porradaria do começo ao fim. A Lorraine fica DESTRUÍDA e não para de bater até “resolver” com todo mundo.

É aqui que percebemos que Atômica mostra pra nós uma montagem com detalhes lindos que fazem a diferença. Como quando Lorraine faz uma metáfora sobre como um filme de câmera queima e David ilustra na tela um filme queimando, usando ele como transição de cena. Ou o “grafiti” na tela para mostrar quando é Berlin Ocidental e quando é a Oriental, criando uma diferença interessante para a maioria das transições.

Esses detalhes se estendem para o foley do longa. Que não apenas usa a música como recurso para deixar cenas mais interessantes, mas sabe como combinar planos detalhes em Walkmans com o efeitos sonoros saindo do fone de ouvido, entre outros nesse estilo. Ainda, o som de quando os sacos de pancada da Lorraine – opa… capangas – caem, principalmente dentro de ambientes fechados, é violento e delicioso. Faz com que você realmente pense “CARACA esse cara morreu, não é possível” – mas não, eles demoram a morrer, acredite.

Tudo isso levou o longa a realmente atender às minhas expectativas – que já eram bem altas. Não é uma obra que seja realmente um GRANDE diferencial para a indústria, porém é uma obra que adorei ir no cinema assistir – e se tiver oportunidade vou novamente. Todos os atores do filme estão ótimos e não deixam com que a trama caia na construção de interesse ao espectador. Na verdade, diria que no seu começo ele é uma constante, mas a partir do segundo ato… o longa decola e não para de subir na curva do “Meus Deuses que maravilha é essa, bate mais que ta loco“.

Atômica está mais que recomendado e com o selo de aprovação do QG do O Super Nerd. Agora diz aí nerd, o que você achou de ver a Charlize Theron mando ver na telona mais uma vez?

A estrutura do site, bem como os textos, os gráficos, as imagens, as fotografias, os sons, os vídeos e as demais aplicações informáticas que os compõem são de propriedade do "O Super Nerd" e são protegidas pela legislação brasileira e internacional referente à propriedade intelectual. Qualquer representação, reprodução, adaptação ou exploração parcial ou total dos conteúdos, marcas e serviços propostos pelo site, por qualquer meio que seja, sem autorização prévia, expressa, disponibilizada e escrita do site, é vedada, podendo-se recorrer às medidas cíveis e penais cabíveis. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade.

Tali Beatriz

Tali Beatriz

Apaixonada por todas as formas de arte e entretenimento, amante da mente humana e sua capacidade criativa e cosplay da Mulher Maravilha.

PUBLICIDADE

comentários mais nerds do planeta

O Super Nerd disponibiliza este espaço para comentários e discussões dos temas apresentados no site, não se responsabilizando por opiniões, comentários e mensagens dos usuários sejam elas de qualquer natureza. Por favor respeite e siga nossas regras para participar. Compartilhe sua opinião de forma honesta, responsável e educada. Respeite a opinião dos demais. E, por favor, nos auxilie na moderação ao denunciar conteúdo ofensivo e que deveria ser removido por violar estas normas. Leia aqui os Termos de Uso e Responsabilidade.

artigos relacionados

Send this to a friend